Blog de integração dos participantes do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID - CAPES, do curso de Letras da Universidade Federal do Pampa, Campus Bagé, com a Escola Estadual de Ensino Médio Frei Plácido e com a Escola Estadual de Ensino Médio Luiz Maria Ferraz - CIEP.

sábado, 29 de janeiro de 2011

A escola não nos interessa

A leitura do livro Profe no tengamos recreo! Creatividad y aprendizaje em La era de La desatencion, me fez pensar porque que muitos jovens hoje abandonaram a escola antes mesmo de completar o ensino médio.

Durante muito tempo a grande motivação que fazia os alunos irem a escola era porque a educação era entendida como uma forma de se ascender socialmente, como um meio de futuramente melhorar de vida, quem nunca ouviu esta frase dos pais, “Meu filho estude se você quiser ser alguém na vida”. Hoje em dia a grande maioria dos jovens procuram meios alternativos “vencer na vida” que não passam pelos bancos escolares, ou seja, não vêem mais a escola como um fator importante, decisivo para o seu desenvolvimento.

Embora enxergar a escola dessa forma não seja a mais correta, ao menos assim mantinha os alunos estudando, o que consequentemente acabava obrigando os governos a investir em educação. E quando os jovens que são a maioria da população brasileira não estão preocupados com educação muito menos estará o governo em investir nela. O resultado disso é uma completa desvalorização do ensino que pode chegar a patamares ainda mais preocupantes e assustadores que os atuais.

Os professores precisam conscientizar os alunos que educação deve ser encarada como um meio de e obter conhecimento, cultura, enfim inteligência para não ser massa de manobra da mídia e de políticos corruptos. Acabar com o caos educacional existente no nosso pais é também resolver um problema político e social.

1 comentários:

Priscila disse...

Não vejo a evasão escolar como um dos motivos para a diminuição de gastos. Acho que o objetivo do governo é ou deveria ser criar políticas públicas para aumentar o ingresso e a permanência na escola. Se compararmos os dados atuais com os 20 anos atrás, veremos que uma porcentagem maior da população está na escola hoje e que o nível de escolaridade da população também tem aumentado, pois para a maioria das pessoas a educação ainda é a única e ou a mais segura forma de ascender socialmente.

Olhando no livro de Atchiverry , com dados da Argentina, ele fala na página 35, que quem completa 12 anos de educação tem 80% a mais de chance de ingressar no mercado de trabalho e quem terminou a universidade 160% a mais.

16 de fevereiro de 2011 13:27

Postar um comentário

Seguidores